Home » Mudanças Climáticas, Notícias » O que os cientistas esperam da RIO+20

abril 8, 2012

O que os cientistas esperam da RIO+20

No final de março, mais de 3 mil cientistas, de todas as partes do mundo, se reuniram em uma conferência em Londres chamada Planet Under Pressure [Planeta sob pressão]. No final da conferência, esses pesquisadores produziram um documento final que critica a atual postura das negociações internacionais de jogar a solução dos problemas ambientais sempre para o futuro.

O texto argumenta que a ação humana tem influência no clima e no meio ambiente do planeta, e diz que, sem ações imediatas, a humanidade vai passar a enfrentar as ameaças em áreas como água, alimentos, biodiversidade e recursos naturais. Esses argumentos não são novidade, mas os cientistas também adicionaram ao texto recomendações para a Rio+20. Eles argumentam que os países reunidos na conferência, que acontecerá em junho no Rio, deveriam implementar pelo menos três medidas:

A reestruturação das organizações internacionais ambientais: o documento pede que as instâncias internacionais que atuam com meio ambiente sejam fortalecidas, e defende a criação de um Conselho do Deenvolvimento Sustentável dentro das Nações Unidas. “Também há grande apoio para fortalecer a governança global incluindo a sociedade civil, empresas e indústrias em todos os níveis de tomada de decisões”, diz o texto.

Criação de metas para sustentabilidade: os pesquisadores apoiam a proposta de criar, na Rio+20, Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. Seriam metas parecidas aos Objetivos do Milênio da ONU, só que funcionariam tanto para países ricos quanto pobres. “A comunidade científica deve ser envolvida no desenvolvimento dessas metas, objetivos e indicadores”.

Valores para os serviços ambientais: o terceiro ponto pede que sejam reconhecidos os valores (monetários ou não) dos serviços ambientais. O meio ambiente presta “serviços” como purificar o ar, prover água doce, controlar o clima, entre outros. Atualmente, quando uma indústria causa dano ao ambiente, ela não contabiliza esse dano, e o prejuízo fica todo com a sociedade. O documento pede mecanismos para evitar que os prejuízos do dano ambiental sejam arcados apenas pelo coletivo.

As recomendações dos pesquisadores não estão muito distantes do que outros setores da sociedade estão cobrando da Rio+20. Ainda assim, para fortalecer esses posicionamentos, cientistas farão uma reunião na conferência, antes da chegada dos chefes de Estado ao Rio, e devem apresentar mais reivindicações.

Fonte: Época

Pin It

Notícias Relacionadas

Comments are closed.

« Anterior: Próximo »

Voltar ao topo