Ministra Izabella Teixeira pede envolvimento da sociedade para aprovar acordo do clima no Congresso Nacional após COP 21

Home » Eventos, Home, Mudanças Climáticas, Notícias, realizados » Ministra Izabella Teixeira pede envolvimento da sociedade para aprovar acordo do clima no Congresso Nacional após COP 21

março 4, 2016

Ministra Izabella Teixeira pede envolvimento da sociedade para aprovar acordo do clima no Congresso Nacional após COP 21

O Museu do Amanhã, no RIo de Janeiro, em parceria com o Observatório do Clima, realizou hoje, dia 4/03, debate público para discutir o significado do acordo do clima firmado em Paris no final do ano passado para o Brasil. Durante o evento, a ministra do Meio Ambiente Izabella Teixeira destacou a participação da delegação brasileira e seu papel mediador na Conferência do Clima de Paris – a COP 21 – que considerou importante para atingir o acordo. A ministra exaltou a relevância do envolvimento da sociedade brasileira nas escolhas que serão feitas nos próximos anos no Brasil.

“As escolhas são hoje. Temos que influenciar, ainda não sei como, mais precisa ser o mais breve possível, a ratificação do acordo no Congresso Nacional”, disse Izabella, com referência a etapa de  inserção do acordo na legislação brasileira. A ministra elogiou a condução francesa no processo do acordo e também a participação brasileira no debate climático. “O reconhecimento de Paris é também para a sociedade brasileira”. Outro ponto destacado por ela diz respeito às INDC’s (Contribuições Nacionalmente Determinadas Pretendidas) – o equivalente às metas de cada país – do Brasil. Para Izabella, as INDC’s brasileiras foram as mais ambiciosas entre todas por não focarem somente no desmatamento, segundo ela responsável hoje por 15% das emissões, mas em outros setores como a agricultura e energia.

O embaixador da França no Brasil Laurrent Bili e o embaixador José Antônio Marcondes de Carvalho falaram em nome do papel da diplomacia na condução do acordo. Para ambos, Paris foi um sucesso. “Temos uma excelente base para trabalharmos. Mas a capacidade dos países de agirem não está concluída. Acordamos muito princípios, mas ainda falta a regulamentação de vários aspectos do acordo”, reforçou Marcondes.

Mediado pela jornalista Sonia Bridi, o encontro contou ainda com a presença de Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima; Pedro Jacobi, cientista social e economista; Celina Carpi, presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos e membro da Rede de Mulheres Brasileiras pela Sustentabilidade; Iago Hairon, coordenador do Grupo de Trabalho sobre Clima da associação de jovens Engajamundo; Gustavo Diniz Junqueira, presidente da Sociedade Rural Brasileira; Maurício Tolmasquim, presidente da Empresa de Pesquisa Energética, entidade vinculada ao Ministério de Minas e Energia (MME), e professor licenciado da Coppe-UFRJ.

O evento ressaltou ainda as oportunidades que se abrem para o Brasil com uma trajetória econômica de baixo carbono. “O Brasil tem na mitigação das mudanças climáticas oportunidades de geração de renda com inclusão social”, disse Carlos Rittl, lembrando que a projeção do setor eólico para este ano é de geração de mais de 50 mil empregos.

Pin It

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

« Anterior: Próximo »

Voltar ao topo