Executivos e investidores têm visões distintas das questões Ambientais, Sociais e de Governança (ASG)

Home » Home, Notícias » Executivos e investidores têm visões distintas das questões Ambientais, Sociais e de Governança (ASG)

junho 14, 2016

Executivos e investidores têm visões distintas das questões Ambientais, Sociais e de Governança (ASG)

Investidores veem uma grande ligação entre desempenho corporativo sustentável e desempenho financeiro, e estão utilizando dados relativos à sustentabilidade como base racional para as decisões de investimento de uma forma inédita

Muitos executivos concordam que os principais investidores não se preocupam com o desempenho de uma organização nas questões Ambientais, Sociais e de Governança (ASG). Poucas empresas tratam como prioridade a comunicação de seu desempenho sustentável para investidores ou até mesmo não desenvolvem um relatório sobre suas práticas sustentáveis. Contudo, há um crescimento no número de investidores que estão prestando mais atenção no desempenho nas questões ASG, e isso é uma prova de que as atividades voltadas para a sustentabilidade são relevantes para o sucesso em longo prazo de uma empresa.  Investidores se importam mais com as questões de sustentabilidade que os executivos costumam imaginar.

O entendimento das prioridades dos investidores é uma importante responsabilidade para os principais executivos da empresa e seu Conselho Administrativo. Com base em sua compreensão dos interesses dos investidores, a liderança da organização se concentrará na estratégia coorporativa e comportamento em uma única direção. Se os executivos acreditam que seus investidores priorizam lucros em curto prazo, eles tendem a organizar vendas, gestão de custos e atividades de pesquisa e desenvolvimento para maximizar esses lucros ao invés de fazer investimentos de longo prazo. Com um maior número de investidores aplicando capital baseados no desempenho sustentável, é hora de os líderes reconhecerem que um número crescente de acionistas está investindo em saber se as atividades ASG de uma empresa se conectam com seu sucesso financeiro.

Essa é uma questão especial para as empresas líderes, uma vez que um grande número de organizações de investimento está tomando decisões com a ajuda de ferramentas na              qual se conectam desempenho das questões ASG com desempenho corporativo, algumas projetadas pelos próprios investidores. Outras ferramentas estão emergindo de uma comunidade diversificada de fabricantes, grupos de consultoria e multinacionais.

Fundo de investimentos orientados pela sustentabilidade vem se tornando prevalentes, recebendo ativos que chegam a três trilhões de dólares. Os investidores estão começando a procurar e desenvolver suas próprias histórias sobre corporativa e desempenho ASG.

Uma barreira significante para muitas empresas é o fato delas não terem uma história forte para contar – ainda – sobre seu desempenho nas questões ASG. A maioria das empresas reconhece a importância da estratégia sustentável para a competitividade global, mas só a minoria dos executivos relatou que suas organizações tem desenvolvido um case de negócios para seus esforços para sustentabilidade.

O estudo global para a sustentabilidade empresarial do MIT Sloan Management Review e The Boston Consulting Group (BCG) revela uma análise aprofundada da nova capacidade dos investidores para conectar desempenho sustentável com desempenho corporativo, discute como os investidores estão usando o desempenho sustentável como um critério primordial para fazer investimentos, e identifica o que os líderes corporativos podem fazer para se manter relevantes para os investidores orientados pela sustentabilidade. Abaixo estão seis conclusões que foram emersas de pesquisa de 2015 com três mil gestores e investidores de organizações de mais de cem países.

  • A percepção dos gestores sobre os investidores está desatualizada: 75% dos executivos seniores em firmas de investimento concordam que um bom desempenho em sustentabilidade é material importante quando estão tomando decisões de investimento, apenas 60% dos gestores de empresas de capital aberto acreditam que o bom desempenho em sustentabilidade é material para as decisões de investidores sobre investimentos.
  • Investidores acreditam que a sustentabilidade cria valores tangíveis: 75% citam a melhoria do desempenho das receitas e eficiência operacional como fortes razões para investir. Mais de 60% acreditam que um desempenho em sustentabilidade sólido reduz os riscos de uma empresa. Quase o mesmo número também acredita fortemente que reduz o custo de capital.
  • Investidores estão dispostos a alienar: Quase metade dos investidores afirmou que não investiriam em uma empresa com um registro de mau desempenho em sustentabilidade. Cerca de 60% dos membros administrativos de uma firma de investimentos afirmam que estão dispostos a evitar empresas com uma má pegada de sustentabilidade.
  • Há uma falta de comunicação dentro das corporações e dentro das firmas de investimento: Em empresas de investimento, mais de 80% dos membros do conselho acreditam no engajamento de suas empresas em investimento responsável. Mas apenas 73% dos gerentes de nível médio e 62% dos funcionários da linha de frente tem a mesma opinião. Nas corporações, quase 80% dos membros do conselho e 85% dos executivos de primeira linha estão plenamente informados sobre os esforços em sustentabilidade de suas organizações. Mas apenas 51% dos gerentes sênior e 31% dos gerentes de nível médio e funcionários da linha de frente são informados igualmente bem. A lacuna de comunicação entre investidores e a gestão empresarial é grande. Segundo os investidores respondentes, as questões de sustentabilidade fazem parte de apenas 54% das chamadas e reuniões de acionistas.
  • Índices de sustentabilidade estão perdendo seu brilho: Apenas 32% dos gestores de companhias públicas afirmam que suas empresas estão listadas em um índice de sustentabilidade. Enquanto 90% desses gestores dizem que suas empresas promovem a inclusão nestas listas, apenas 44% dizem que tais honras são importantes. Investidores são ainda mais críticos: Apenas 36% dizem que ser incluídos em um índice relevante é um importante fator em suas decisões de investimento.
  • Apesar da estratégia em sustentabilidade ser considerada importante, poucas companhias têm desenvolvido uma: Essa lacuna tem sido um achado constante em todos os anos do estudo. Em 2016, quase 90% dos respondentes disseram que a estratégia em sustentabilidade é essencial para a manutenção da competitividade. Contudo, apenas 60% das corporações tem tal estratégia. Apesar de claramente ser central para a estratégia de negócios, apenas 25% dos respondentes dizem que suas companhias tem desenvolvido uma. Mudanças no modelo de negócios também são centrais. Organizações que fizeram uma mudança no modelo de negócios relacionada à sustentabilidade são duas vezes mais propensas a registrar lucro do que empresas que não têm feito.

Matéria original: http://sloanreview.mit.edu/projects/investing-for-a-sustainable-future/ (MIT SLOAN)

Tags: , , , , ,

Pin It

Notícias Relacionadas

Deixe uma resposta

« Anterior: Próximo »

Voltar ao topo